menos absentismo e mais competitividade

Javier Tovar | BARCELONA/EFE/JAVIER TOVAR E GREGÓRIO DO ROSÁRIO, Segunda-feira 02.12.2013

O termômetro da saúde do trabalho abre passagem em empresas como elemento chave para melhorar a inovação, criatividade e competitividade. A simplesmente Maria José Montagut e Francesca Trejo analisados em EFEsalud a importância desta estratégia para promover a confiança e o bem-estar de funcionários e empresas

Artigos relacionados

Quarta-feira 07.02.2018

Quarta-feira 20.12.2017

Domingo 11.06.2017

A doutora Maria José Montagut é médico especialista em Medicina do Trabalho e Medicina Esportiva; e a doutora Francesca Trejo é a responsável do Serviço de Prevenção do Grupo Novartis no Brasil.

Ambos participaram dos debates “pequeno-Almoço de saúde. Conhecimento e bem-estar“, em Barcelona, organizados por EFEsalud em colaboração com a empresa farmacêutica Novartis.

Com elas, discutimos a importância presente e a projeção futura dos programas de promoção da saúde nos locais de trabalho, um conceito que contempla o bem-estar em seus aspectos físico, mental e social.

Avançando para a saúde no trabalho

  • Doutora Montagut, o que é a saúde no trabalho?

Doutora Maria José Montagut: Não é apenas não ter doenças, mas promover hábitos saudáveis de maneira global e sustentada. A partir dos exames de saúde devem ser realizados estudos para passar de prevenção para a ação, com programas específicos de promoção da saúde.

  • Como você avalia as empresas a saúde no trabalho?

Dra Montagut: O básico é o exame de saúde. Antecedentes, exame físico… isso obtemos informações sobre o trabalhador com dados como os seus riscos, situação, saúde física, acuidade visual.

O exame de saúde dá muita informação e compara-se, de ano em ano: colesterol, exercício, tabaco. A empresa é um bom site para promover hábitos saudáveis em todos os sentidos.

  • Doutora Trejo, qual a importância da promoção da saúde nos locais de trabalho?

Doutora Francesca Trejo: A importância é máxima, já que o sucesso de uma empresa está em ter colaboradores competentes, saudáveis, criativos e inovadores. Isso não pode ser assim, se não estão saudáveis; por isso, o primeiro passo é a saúde. Além disso, com colaboradores saudáveis, há menos absentismo.

Estudos do Fórum Econômico Mundial e da OMS apontam que a promoção de hábitos saudáveis no ambiente de trabalho pode chegar a reduzir em até 40 por cento a incidência das doenças não transmissíveis, obesidade, colesterol alto, certos cancros associados a hábitos não saudáveis.

Dra Trejo: Novartis, a promoção da saúde no trabalho é uma extensão de nossos objetivos empresariais. Temos um programa, “Be Healthy”, que conta com uma ampla participação.

Se apoia em quatro pilares: atividade física e combate ao sedentarismo; hábitos saudáveis de nutrição, com menus saudáveis, vegetarianos, semáforos de calorias, e serviço de nutricionista para consultas; impulso de uma atitude pró-ativa do conhecimento dos indicadores de saúde e os exames médicos. E um quarto pilar, que é a gestão do tempo e do stress potencial.

As empresas devem tomar em sério

  • Será que as empresas espanholas estão cientes da importância que tem a promoção da saúde no trabalho?

Dra Montagut: Às vezes pensa-se que a saúde no trabalho é um gasto a mais, mas é um gasto a menos, reduz o absentismo. As empresas agora como mínimo se faz o exame médico anual, que antes não se fazia. É a consciência do trabalhador, e ser-lhe forma em primeiros socorros, como por exemplo, tratar uma entorse de tornozelo, saber curar uma ferida. A educação para a saúde na empresa, é básica.

  • A promoção da saúde é uma tarefa de todo o ano?

Dra Trejo: Os programas são de todo o ano. Cada vez mais as empresas estão sendo conscientes da importância de promover a saúde no ambiente de trabalho e cada vez mais se entende mais o lucro que reporta. E começam a implementar este tipo de programas, que são práticos para a vida da empresa, mas também para a vida em geral.

Dra Montagut: Às vezes falando com a pessoa que você tem na frente, olhar para aspectos mais psicológicos. Por exemplo, há gente que não come porque não tem tempo, nem para o esporte, nem para o lazer. Como você se sente? Esta é uma pergunta muito importante. Muita gente se pergunta como é realmente.

Saber desligar quando sair do trabalho é muito importante e dedicar tempo para a vida pessoal também. Deixar tudo para o dia seguinte. É importante o trabalho, mas também a pessoa. Às vezes não tem consciência disso.

  • O mobiliário, cadeiras, mesas, iluminação, porque é são fatores importantes?

Dra Trejo: É fundamental a ergonomia, com a avaliação in loco, os computadores, a luz.

  • E a conciliação da vida pessoal e profissional?

Dra Trejo: É importante a flexibilidade de horário; trabalho por objectivos; o teletrabalho, que se adapta às necessidades da pessoa; os programas de assistência ao empregado. As empresas devem fornecer ferramentas para conciliar.

Chaves e desafios da saúde no trabalho

  • Qual é o desafio e a chave em saúde do trabalho?

Dra Trejo: O desafio fundamental é envolver todos os segmentos da organização. Qualquer programa tem que acreditar em todo o mundo, desde o director-geral ao último colaborador. Todos devem contribuir e você tem que acreditar no que se faz e mantê-lo. Não apenas coisas pontuais para preencher o registro.

Dra Montagut: A chave é o acompanhamento. Os exames de saúde revertem em empresas e há que incentivarlos. A um exame de saúde não vai por estar doente, vai para saber como você está. Não os trata como doentes. Há que investir em educação para a saúde das empresas.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply