medicina natural e a carta

Um de cada três espanhóis já testou a Homeopatia e as razões para isso são baseadas tanto em sua eficácia como pelo fato de não ter, quase cem por cento, de efeitos secundários. Em Portugal, 4.400 pediatras, 700 ginecologistas e 4.300 médicos gerais recorrem a esta medicina, como tratamento único ou complementar. “O Livro Branco da Homeopatia” nos revela as suas chaves

Foto cedida por BOIRON

Artigos relacionados

Segunda-feira 10.09.2018

Sexta-feira 07.09.2018

Sexta-feira 07.09.2018

A Homeopatia é um método terapêutico que observa que, em muitos medicamentos, se produz um duplo efeito: substâncias que, em doses elevadas administradas a uma pessoa saudável, podem provocar o aparecimento de várias doenças e patologias, verificou-se que essa mesma substância em doses muito pequenas é curativa em pessoas doentes.

“Se tomamos muito café, vou ficar muito nervoso, com muitas ideias na cabeça, irritado e até mesmo com problemas de insônia; se uma pessoa que tem uma insônia com essas características, se lhe damos café em doses muito pequenas, chamadas doses homeopáticas, observamos que lhe queríamos sarar esse insônia”, afirma Miguel Barelli, diretor de Relações Institucionais e Profissionais de Boiron e membro da Comissão Mista da Cátedra Boiron de Pesquisa, de Ensino e Divulgação da Homeopatia da Universidade de Saragoça.

É o princípio de semelhança, substâncias que, em doses elevadas em pessoas saudáveis são tóxicas e essa mesma substância em doses homeopáticas é cura o doente.

“Livro Branco da homeopatia”, tratamentos homeopáticos

Este medicamento é usado em mais de 80 países, com mais de 300 milhões de pacientes e é exercida por cerca de 248.400 médicos especializados. Em Portugal, é cada vez mais demandada pela sociedade: um em cada três espanhóis (33%) recorreu à Homeopatia, em alguma ocasião, e 27% o faz de forma ocasional ou regular, conforme afirma o Estudo sobre o Conhecimento e Uso da Homeopatia em Portugal (2011 – 2012). De fato, mais de 10.000 médicos em nosso país a integram na sua prática diária, tal como reconhece A Homeopatia Hoje. Uma realidade científica, social e econômica (2013).

Para esclarecer conceitos e mostrar a Homeopatia como uma ferramenta a mais a medicina e para a população em geral como para os profissionais de saúde e instituições, a Cátedra Boiron de Pesquisa, de Ensino e Divulgação da Homeopatia da Universidade de Saragoça foi elaborado o “Livro Branco da Homeopatia”. Este documento, pioneiro em Portugal, analisa a situação desta terapêutica, além de levantar os principais desafios e perspectivas para o futuro da Homeopatia em nosso país.

Nele são abordados a partir de diferentes critérios da terapêutica e medicamentos homeopáticos, até os aspectos, a formação dos profissionais de saúde e a pesquisa em Homeopatia.

A segurança e eficácia, razões, o uso de homeopatia

Os pacientes solicitam alternativas farmacológicas que os ajudem a tratar a sua doença ou enfermidade, mas que ao mesmo tempo são causa menos efeitos colaterais. De aqui que as principais razões por que os espanhóis usam medicamentos homeopáticos sejam pelo seu perfil de segurança (78%), por ter poucos ou nulos efeitos colaterais, e por sua eficácia (44%),ao obter bons resultados, mesmo naquelas patologias que ainda a medicina convencional não oferece respostas ótimas.

“Na medicina os absolutos são muito difíceis, mas nós dizemos que costumam carecer de efeitos secundários, porque estão submetidos à mesma publicação que o resto de medicamentos.

Quando um paciente ou um profissional observa que há algum tipo de efeito secundário tem a obrigação de comunicá-las à agência do medicamento. Em 2012 houve seis ou sete notificações de efeitos adversos potenciais de um tratamento homeopático, uma cifra muito baixa”, assegura Miguel Barelli.

De acordo com o I Estudo sobre Conhecimento e Uso da Homeopatia em Portugal (2011 – 2012), até ao dia 8 de cada 10 usuários de Homeopatia se mostram satisfeitos ou muito satisfeitos com os resultados obtidos e, prova do alto nível de satisfação é que, 87% deles a recomendaria para seu ambiente mais próximo.

As afecções mais freqüentes em que são utilizados medicamentos homeopáticos são para o tratamento de gripes, resfriados, tosse ou dor de garganta, já que assim o reconhece a 52% dos usuários destes tratamentos. Também é comum o seu uso para tratar a ansiedade ou insônia(39%), aumentar as defesas (34%), alergia (29%), dores de cabeça ou doenças de pele (20%).

Promover a formação

A Homeopatia é uma ferramenta terapêutica que está cada vez mais integrada nas consultas dos profissionais de saúde. Assim, mais de 10.000 médicos em Portugal já prescrevem regular ou ocasionalmente, medicamentos homeopáticos, dentre os quais, o número de especialistas que os integram na sua prática cotidiana vai em aumento, até 4.400 pediatras, 700 ginecologistas e 4.300 médicos gerais do Sistema Nacional de Saúde.

Eles a utilizam para a abordagem de patologias agudas e crônicas, seja como medicamentos de primeira escolha, associados a outros tratamentos ou como complemento de outra terapêutica. Precisamente, esta última é a situação mais frequente, principalmente no caso de pacientes com doenças crônicas.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply